ABCVAC demonstra preocupação com quebra no fornecimento de vacinas

Preocupada em garantir o pleno funcionamento do esquema vacinal brasileiro, protegendo a população de doenças que podem levar à óbito, a ABCVAC – Associação Brasileira de Clínicas de Vacinas segue em busca de soluções para vencer a falta de fornecimento de doses fundamentais para a saúde populacional às redes privadas. Segundo os laboratórios fabricantes, a falta de um insumo está comprometendo a produção, situação que vem se agravando nos últimos três anos.

Com um aumento expressivo na demanda somado à uma produção insuficiente, a Associação demonstra grande preocupação e age para sanar o bloqueio e trazer, de volta, a tranquilidade da sociedade brasileira. “A vacinação humana é o mais importante meio de se evitar doenças. A falta de vacinas na rede privada provoca incertezas e desequilíbrios, além de gerar uma sensação de insegurança”, comenta Geraldo José Barbosa, presidente da entidade.

Visando entender a atual dinâmica de produção e distribuição e aumentar, também, o relacionamento com os laboratórios, a ABCVAC entrou em contato com indústrias como a Glaxosmithkline do Brasil e a Sanofi, cobrando explicações e um posicionamento sobre o quadro. Tendo como grande preocupação o risco desnecessário à que a população é exposta devido as rupturas que afetam o esquema vacinal, a entidade questiona a entrega de vacinas que protegem contra tétano, difteria, hepatite, coqueluche, meningite, febre tifoide, pneumonia e raiva.

Com a ausência dessas doses, a população fica sujeita à espera e, por muitas vezes, perde os prazos para aplicação. “É importante destacar que a vacinação é fundamental em todas as fases da vida. A ausência das doses nas clínicas privadas é um risco para a saúde como um todo. Não podemos seguir com a ideia de que a vacina só tem importância no surto”, declara Barbosa.

Até o presente momento, os laboratórios não se pronunciaram em retorno ao comunicado enviado pela ABCVAC, que segue em busca de respostas e soluções para normalizar o calendário de vacinas e garantir que a população se sinta segura e protegida.

Você pode gostar...